Especialistas apontam que amamentação deve ser mantida durante a pandemia

Cuidados como o uso de máscara e higienização das mãos devem ser tomados pelas lactantes (Foto: Divulgação)

Amamentar ou não durante a pandemia? Se você é lactante e está em dúvida, saiba que a recomendação de órgãos de saúde é a de que a amamentação não deve ser interrompida neste período. As pesquisas realizadas ainda não demonstraram dados que comprovem que o leite materno é um meio de transmissão do coronavírus e por isso, a orientação é que, desde que a mãe observe as orientações de higiene dos especialistas, o aleitamento deve ser continuado.

O professor da Unesc, ginecologista e obstetra e responsável pelo Banco de Leite do Hospital Materno Infantil Santa Catarina, Allan Fagundes Pacheco, afirma que até o momento não há estudos conclusivos demonstrando que a contaminação de bebês se fez por meio da amamentação e não por outras formas de contágio, como gotículas de saliva.

Pacheco destaca que a Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, a Sociedade Brasileira de Pediatria, Rede Fiocruz, o Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde recomendam a amamentação, destacando que os seus benefícios superam os riscos, e que as mulheres portadoras de Covid-19 que querem amamentar, devem ser estimuladas ao aleitamento.

Porém, é necessário que as lactantes observem as recomendações para garantir a segurança dos bebês. O professor da Universidade fala a seguir, quais as orientações mais recentes sobre aleitamento materno durante a pandemia:

Agência de Comunicação da Unesc – Quais cuidados que as lactantes devem ter em no seu cotidiano?

Professor Allan Fagundes Pacheco – Como as puérperas que estão amamentando são população de risco, as recomendações são de evitar aglomerações de pessoas, evitar ao máximo sair de casa e caso tenha que fazer isso, que seja sempre com máscara e levando álcool em gel. Ao entrar em casa, a lactante deve tirar as roupas utilizadas na rua e colocar para lavar, tomar um banho e utilizar roupas limpas. Já em casa, deve lavar as mãos com frequência e antes e depois das mamadas. Higienizar sempre os utensílios do bebê com água e sabão e manter a criança em ambiente limpo e arejado.

  Agecom – Uma mulher que está amamentando e tenha suspeita de estar infectada com o coronavírus deve tomar quais providências?

Professor – Deve ser estimulada a continuar o aleitamento observando algumas orientações como lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos antes e depois de tocar o bebê, usar máscara facial cobrindo completamente nariz e boca durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação. Se isso ocorrer, a máscara deve ser imediatamente trocada. É importante que a mulher utilize uma máscara limpa a cada mamada.

É importante também evitar que o bebê toque o rosto da mãe, especialmente boca, nariz, olhos e cabelo. Para mães com suspeita ou confirmadas, após a mamada, os cuidados do bebê como banho, hora do sono e troca de fraldas deve ser realizado por outra pessoa da casa que não tenha sintomas ou suspeita de estar infectada pelo vírus.

Agecom – Como fica a doação de leite materno neste período de pandemia de Covid-19?

Professor – A doação para Banco de Leite não é só recomendada como deve ser estimulada. Mas é contraindicada para mulheres que estejam com coronavírus e assim que o quadro for considerado curado, a doação poderá ser retomada. Vale lembrar que o leite doado passará por processo de pasteurização antes de ser entregue aos bebês.

  Fonte: Agência de Comunicação da Unesc /Assessoria de Imprensa Unesc

Aicom – Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing
(48) 3431-2547

www.unesc.net