Exposição que conta história do processo eleitoral em Santa Catarina é reinaugurada

 

Inauguração do Espaço de Memória da Justiça Eleitoral Catarinense (Museu)

Foi reinaugurada, nesta segunda-feira (9), a exposição de longa duração do Centro de Memória Des. Adão Bernardes (CMAB), que completa 20 anos em março de 2020. O espaço, que pertence ao Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, foi modernizado e contou com a mudança de layout e inserção de novas peças.

A exposição está dividida em três núcleos temáticos: o processo eleitoral catarinense, a história do Centro de Memória e a história institucional do TRE-SC. Entre os objetos expostos estão urnas de madeira, de lona e o computador utilizado na primeira votação informatizada da América Latina. “Um dos objetivos é atrair uma maior visitação do público para ajudar na difusão de valores como cidadania e democracia e mostrar como o processo eleitoral foi aperfeiçoado ao longo dos anos e qual foi a participação da Justiça Eleitoral nessa história que é tão importante para o país”, comentou a servidora Sandra Buth Zanon, uma das curadoras da exposição, junto com o coordenador de Gestão da Informação Edmar Sá.

Antes da cerimônia de reinauguração, o Pleno do TRE-SC aprovou o regimento interno do Centro de Memória, a política de acervo, o plano museológico e a designação de servidores para comporem a comissão de gestão do acervo do CMAB. Para o presidente do TRE, des. Cid Goulart Júnior, a importância do acervo se deve “pelo fato deste Tribunal ser reconhecido nacionalmente por seu caráter inovador. Por isso, fica evidente a importância da preservação da história da Justiça Eleitoral catarinense para a sociedade brasileira”.

De acordo com a professora e pesquisadora Lenora Schwaitzer, convidada pelo TRE-SC a comentar sobre a importância dos espaços de memória do Judiciário durante a Sessão do Pleno, “a história necessita de reconhecimento. Hoje, o que o TRE-SC está promovendo é a consolidação de um trabalho sério, profissional, criterioso e que evita que haja uma descontinuidade de uma memória que necessita ser preservada”.

Após o término da Sessão, o presidente do TRE-SC reinaugurou oficialmente o espaço e foi realizada uma visita mediada pela servidora Sandra. Em seguida, o servidor Gonsalo Ribeiro, que ajudou na coleta de documentos e móveis que constam na exposição, contou histórias sobre o processo de resgate da memória física do Tribunal e o desembargador Jaime Ramos compartilhou curiosidades sobre processos eleitorais dos quais participou, quando o sistema de votação e apuração ainda não era informatizado.

A exposição pode ser visitada pelo público geral e pesquisadores mediante agendamento pelo e-mail cmab@tre-sc.jus.br ou pelo telefone 3251-3714.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do TRE-SC