Município realiza o I café de mãos dadas

Numa iniciativa do projeto Apoio Educacional Especializado, AEE, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte, Prefeitura Municipal e de instituições parceiras, foi realizado com sucesso, na manhã de terça-feira, 1º de outubro, o I CAFÉ DE MÃOS DADAS.

O evento que teve como tema: “Nenhum de nós é tão bom, quanto todos nós juntos”, foi realizado no CEI Carmem Matos Borges e contou com a presença do prefeito Juscelino da Silva Guimarães,o Mineiro, secretária de Educação, Kátia Rosângela Timboni Victor, diretoras de Ensino Infantil, Sici Luiz, de Biblioteca Sirlei Santos Lima, da Cultura Marta Costa, vereadoras Greyce Copetti e Maria Alice Luciano, equipes de profissionais que integram a rede de apoio à Educação Especial; APAE de Araranguá e Arroio do Silva, AMA de Criciúma, Centro Especializado de Reabilitação, CER/UNESC, projeto Down Show de Araranguá, EEB Apolônio Ireno Cardoso, CEIs Terezinha Uliana Victor, Carmem Matos Borges e pais de alunos que integram o projeto de Apoio Educacional Especializado.

RODA DE CONVERSAS

A diretora do CEI Carmem Matos Borges, Cheila Silvestre deu as boas vindas a todos, falou dos objetivos do encontro e apresentou um vídeo institucional do projeto, seguido de apresentação de alunos do Pré II matutino com a música “Eu sou diferente de você, mas você vai gostar de mim”.

O prefeito do Arroio do Silva usou da palavra para dizer da sua satisfação em dar o suporte necessário para que o projeto fosse uma realidade. “Para vocês todos que cuidam da educação destas crianças eu tiro o meu chapéu”, disse. Já a professora do projeto AEE, Neuropsicopedagoga, especialista em Educação Especial Inclusiva,  Aline Goulart Macan, detalhou sobre o projeto desenvolvido nos CEIs do Arroio do Silva, onde os brinquedos e materiais pedagógicos são feitos por ela, com uso de produtos recicláveis, onde uma pequena garrafa pet vira um pincel ou um lápis revestido de mangueira de climatizador split fica mais fácil de ser manipulado por um aluno com deficiência. “Acredito muito na educação inclusive, onde as crianças permanecem na sala de aula e aprendem com os demais colegas. O trabalho intersetorial articulado de rede complementa”.

O “Café de Mãos Dadas” ficou ainda mais atrativo com as experiências contadas pelo CER/UNESC, AMA e APAEs de Araranguá e Arroio do Silva. “Falamos muito em inclusão, mas ela precisa começar na casa do aluno, passar pelo CEI e num esforço conjunto esse aluno chegará até a faculdade. Muito boa a iniciativa do Arroio do Silva em promover o café”, afirmou a representante da AMA de Criciúma, Joice Silveira da Silva Dias.

 Fontes: Assessoria de Comunicação Prefeitura de Balneário Arroio do Silva