Órgãos Ambientais recolhem material e multam pecadores pescadores artesanais

 

Município repudia atitude de órgãos que recolhem material e multam pescadores artesanais
O prefeito Juscelino da Silva Guimarães, ficou indignado com a ação dos órgãos ambientais do governo federal e do estado, que realizaram um arrastão nas praias do município, onde recolheram, cortaram cabos de redes e multaram pescadores artesanais do Município. A operação ocorreu na terça-feira, 26 de maio, onde os agentes do IBAMA, IMA e PF, atuaram de forma truculenta, entre as praias da Meta até a Lagoinha, portando armas pesadas e sem consultar os órgãos que representam os pescadores, como Colônia de Pesca Z-24, Departamentos de Pesca e Meio Ambiente.

“Me solidarizo com todas as famílias de pescadores do município, estamos diante de uma Pandemia devido ao Coronavírus e tirar o sustento destes pescadores, em plena safra da Tainha é inaceitável. Outra preocupação é com as redes que foram cortadas e lançadas ao mar e que retornarão com animais marinhos mortos”, lamentou.

O prefeito Mineiro disse que vai buscar junto aos representantes da esfera política estadual e nacional a revogação da Portaria estadual 54/1999, que não permite a pesca com âncora, contudo, já existe um petrecho que foi adaptado para a pesca nesta região que não ocasiona prejuízos aos demais meios de pesca.

O Diretor de Pesca e Agricultura do Balneário Arroio do Silva, Guilherme de Oliveira, também lamenta a atitude dos órgãos ambientais e se coloca a disposição dos pescadores e seus representantes para buscar uma solução definitiva para esse problema recorrente. “Todos os anos os pescadores são prejudicados por conta desta Portaria, que desconhece a nossa realidade. Aqui o mar é aberto e pescar de calão é impossível”, frisa.

Foto: Gila Borges