Uso correto de máscara: desafio para a proteção coletiva

Dispositivo precisa ser utilizado da forma orientada por profissionais para que seja eficaz contra o contágio da Covid-19

Que o uso de máscara nas ruas e estabelecimentos é obrigatório, a maioria das pessoas já entendeu. O que ainda parece não estar claro, no entanto, é a importância de utilizá-las da forma correta conforme orientado pelos profissionais de saúde. Ao andar pelas ruas é possível perceber diferentes formas encontradas para burlar as orientações. Colocar a máscara de forma errada, utilizá-la pendurada, deixar o nariz desprotegido, encostar no tecido ou retirá-las por algum tempo, por exemplo, são ações que fazem com que a eficácia da medida de proteção seja perdida.

Conforme o professor e pesquisador da Unesc, Willians Longen, da mesma forma que o cuidado na escolha da máscara de modelo e tamanho correto é imprescindível, é essencial também que ela seja usada por todo o tempo em que as pessoas estiverem expostas, ou seja, fora de casa, e da maneira correta, cobrindo nariz, boca e queixo.

De acordo com Willians, as máscaras utilizadas por todos representam uma medida de autocuidado com desdobramentos na saúde coletiva na proteção das individualidades e dos coletivos. “A máscara foi proposta para servir ao seu papel fundamental de representar uma barreira atenuadora do risco de contágio. Muito mais do que uma exigência das autoridades sanitárias, devem ser instituídas no imaginário das pessoas como um hábito essencial do cuidado. Neste sentido uma diferenciação entre o que é uma obrigação por determinante legal ou senso comum e o que de fato se apresenta como uma forte demanda de saúde pública de fato, deve ser explicitada pelo adequado, zeloso e sensato uso desta forma de proteção”, explica.

Confira abaixo o infográfico produzido pela Unesc para explicar de forma clara o que é correto e incorreto na hora de utilizar as máscaras na proteção à Covid-19.

Descarte correto

Na mesma linha dos cuidados com relação ao uso correto do dispositivo, de acordo com Willians, o descarte do material também precisa ser feito com atenção. “É preciso seguir instruções também para retirar e guardar para lavar e reutilizar ou jogar fora as máscaras após seu uso. Isso também faz total diferença na prevenção”, acrescenta.

O Núcleo de Promoção e Atenção Clínica à Saúde do Trabalhador da Unesc (Nupac-ST), por meio de seus acadêmicos bolsistas e professores, criou um vídeo explicando de forma prática a forma correta de manuseio. Confira:

 https://www.youtube.com/embed/TOWML9qtaRA

Fonte: Assessoria de Imprensa Unesc